Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

WHITE AND PINK

Aspartame - O adoçante a evitar

 

Olá,

Hoje venho falar-vos de um adoçante, o aspartame.
O aspartame é um dos substitutos mais populares do açúcar. É formado por três componentes: ácido aspártico, fenilalanina e metanol. Pode-se encontrar na grande maioria dos produtos ditos "light" ou "Sem açúcar" desde iogurtes, gelatinas, bolachas, chás, colas zero, etc.
A primeira resolução que a grande maioria das pessoas faz, quando decide que quer emagrecer, é diminuir o consumo de gorduras e açucares através de produtos sem açúcar e com menos calorias. Mas serão esses produtos opções viáveis?
Como já vos disse, há muito tempo que deixei de ligar apenas para as calorias dos alimentos e comecei a dar mais importância aos seus nutrientes e constituintes. E umas das coisas que tenho vindo a evitar ao máximo é o aspartame. Posso-vos dizer que não é uma tarefa fácil! Gosto imenso de iogurtes e gelatinas, são um snack super rápido, mas quando comecei a olhar para os constituintes....meu Deus, é quase impossível encontrar iogurtes e gelatinas que não tenham aspartame na sua constituição.
E agora muitos de vocês perguntam o porquê. Porque é que devemos evitar o aspartame?
Hoje em dia já são muitos os estudos que falam sobre este adoçante e a conclusão a que muitos chegam, é que o mesmo pode estar relacionado com várias doenças como é o caso do cancro, perda de memória, doença de alzheimer, depressão, demência, fadiga e esclerose múltipla.

Basta pesquisar no Google que somos logo bombardeados com alertas para os seus perigos.

aspartame.png

 

O primeiro "abre olhos" que tive, relacionado com este assunto, foi um vídeo que descobri no youtube, feito pela naturopata Mariana Pessanha, que me levou a pesquisar mais sobre o assunto.


Deixo-vos aqui dois exemplos de documentários que falam sobre açúcar e adoçantes, o "Hungry for Change" (já vos tinha falado nele no post anterior) e “Sweet Misery: A Poisoned World “ em que o tema principal é mesmo esse, os efeitos do aspartame.

Mais uma vez peço para olharem para os nutrientes e constituintes dos alimentos antes de mergulharem nos produtos light e 0%. “Sem açúcar” não é sinónimo de mais saudável.

 

Nos links abaixo, podem ver um pequeno excerto do documentário "Hungry for change", bem como o testemunho da Mariana Pessanha.

 

 

 

Beijinhos

Carolina :)